Situação precária de escola da zona rural impede início das aulas

Banheiros sem portas nem descargas, despensa com teto na iminência de cair, salas de aula sem nenhuma condição de funcionamento e com relatos de choques elétricos quando chove, dentre outros problemas graves levaram professores e pais de alunos da Escola Municipal Genildo Miranda, comunidade Lagoinha, zona rural de Mossoró, a não iniciarem o ano letivo.

A situação de abandono da escola é denunciada pela diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mossoró (Sindiserpum), em visita a escola nesta quarta-feira (21).

“Ironicamente, um prédio iniciado há cerca de quatro anos, onde deveria estar funcionando uma nova escola, está fechado a poucos metros dali, sendo tomado pelo mato, esperando que a Prefeitura de Mossoró se digne a concluí-lo e o entregue à comunidade”, denunciou Marleide Cunha, presidente da entidade.

O sindicato se comprometeu de voltar a cobrar providências à Secretaria Municipal de Educação, além de enviar um ofício ao Corpo de Bombeiros, para solicitar inspeção no local.

Veja fotos da escola:

Siga o Blog Saulo Vale no Instagram.

contatosaulovale@gmail.com

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook

Saulo Vale

É formado em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela UERN. Apresentador do Jornal da Tarde, Rádio Rural de Mossoró, e do Enfoque Político, Super TV. É também correspondente de política das rádios da capital e do interior, como 97 FM de Natal, 91 FM de Natal e Rádio Cabugi do Seridó.