Profissionais atuam no Hospital Almeida Castro - Foto: arquivo

Pediatras ameaçam suspender atendimento por falta de pagamento

Os médicos da Neo Clínica SS lançaram nota pública com queixas ao atraso de pagamentos de plantões e de visitas médicas realizados desde maio de 2023 em Mossoró.

Devido ao atraso, os médicos concederam o prazo de 48 horas para interromper os serviços, em caso de permanência do descumprimento contratual.

A Associação de Assistência e Proteção a Infância de Mossoró (Apamim) – ou Hospital Maternidade Almeida Castro – é a responsável por realizar os pagamentos para os médicos pediatras. A Apamim foi nomeada judicialmente para receber verbas do SUS de origem da União, do Estado e do Município e realizar os pagamentos dos médicos, mas os profissionais convivem com constantes atrasos, muitas vezes devido aos atrasos de repasses desses entes à unidade hospitalar.

Atualmente, a Neo Clínica realiza serviços em Mossoró nos setores de UTI Neonatal, salas de parto e Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal Convencional (UCINCo).

Confira a nota pública:

 

Nota Pública

 

A NEO CLÍNICA SS, sociedade de Pediatras que presta serviços na Maternidade Almeida Castro, vem a público manifestar sua indignação com os constantes atrasos nos pagamentos realizados pela junta de intervenção judicial que administra a APAMIM.

 

Hoje, os profissionais que atuam nas áreas de UTI Neonatal, Salas de parto, UCINCo e visitas médicas estão há 70 dias sem receber por plantões e visitas médicas executados de forma ininterruptas, referentes ao período de 01/05/2023 a 31/07/2023. Essa situação é inaceitável e caracteriza descumprimento contratual, ocasião em que os Pediatras se programam para suspender as atividades em até 48 horas.

 

O descumprimento contratual por parte da APAMIM e a falta de sensibilidade dos entes públicos responsáveis pelo custeio do serviço essencial de saúde prejudicará a qualidade do atendimento aos recém-nascidos de Mossoró e região. A NEO CLÍNICA SS exige o cumprimento do contrato firmado e o respeito aos direitos dos médicos que dedicam suas vidas à saúde materno-infantil.

Nota do Blog: A Apamim convive constantemente com atraso de repasses da Prefeitura de Mossoró e do Governo do RN, que, muitas vezes, ultrapassa os três meses de tolerância previstos no contrato. Caso não haja pagamento por via administrativa, deve ocorrer novo bloqueio nas contas desses dois entes nos próximos dias, por meio de determinação judicial.

Siga-nos no Instagram.

contatosaulovale@gmail.com

728x90
728x90
WhatsApp
Telegram
Twitter
Facebook

Saulo Vale

É formado em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela UERN. Apresentador do Jornal da Tarde, Rádio Rural de Mossoró, e do Enfoque Político, Super TV. É também correspondente de política das rádios da capital e do interior, como 97 FM de Natal, 91 FM de Natal e Rádio Cabugi do Seridó.

Feed Them Social: TikTok Feed not loaded, please add your Access Token from the Gear Icon Tab.