Para Agripino, brasileiro não quer votar em Bolsonaro, nem em Lula

Em entrevista, ex-senador defende fortalecimento do centro

Foto: BSV

O ex-senador e ex-governador do RN, José Agripino Maia (DEM) defendeu o fortalecimento de forças do centro político, com vistas às eleições presidenciais de 2022.

Para Agripino, o brasileiro não quer o retorno de Lula (PT) nem a continuidade do governo Bolsonaro (sem partido).

“A pesquisa Exame mostrou que o eleitor quer evitar o candidato de extrema direita ou de extrema esquerda. Se não houver alternativa, alguém que reúna o centro, o brasileiro vai ser forçado a tomar uma posição que já não tomou nas eleições municipais [de 2020]. Basta você ver quem foi que Lula ou Bolsonaro elegeu na eleição municipal nas capitais, ninguém. Os prefeitos eleitos foram do centro”, destacou.

“Para mim, está claro. O brasileiro quer um presidente que una o país e acabe com essa briga de direita com esquerda. Precisa ser alguém que lute por uma união dos brasileiros por objetivos que nos interessam. O Brasil tem tudo para ser uma grande nação”, disse.

Para ele, um candidato do centro “parte com todas as chances de ganhar a eleição”.

“A preferência do brasileiro não é mais votar em Lula, nem em Bolsonaro. Claro que eles ainda têm o eleitorado deles. Mas a maioria deseja outra alternativa, que não seja extrema esquerda, nem extrema direita, nem a volta ao passado”, complementou.

Agripino foi o entrevista da sexta-feira passada do Enfoque Político (Super TV). 

Confira um trecho da entrevista (caso não consiga visualizar, clique AQUI).

Siga-nos no Instagram.

contatosaulovale@gmail.com

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook

Saulo Vale

É formado em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela UERN. Apresentador do Jornal da Tarde, Rádio Rural de Mossoró, e do Enfoque Político, Super TV. É também correspondente de política das rádios da capital e do interior, como 97 FM de Natal, 91 FM de Natal e Rádio Cabugi do Seridó.