“Há suspeitas de corrupção”, diz sindicato sobre venda de campos terrestres

Sindicalista critica Petrobras por venda de campos

Foto: BSV

O Sindicato dos Petroleiros do RN (Sindipetro) faz uma série de mobilizações para protestar contra a venda dos 34 campos terrestres da Petrobras no Rio Grande do Norte.

A categoria quer pressionar a classe política a pedir explicações sobre a venda.

“Novamente, a Petrobras age com obscuridade com essa venda. A empresa anunciou em novembro de 2018 que venderia [os campos] para a empresa 3R e que daria oito dias para a empresa assinar. De lá para cá, a Petrobras se manteve calada e a 3R também. Agora, a estatal reaparece com outra empresa, contrato já assinado, dinheiro já pago e abrindo mão de R$ 275 milhões na venda do Riacho da Forquilha. Isso é um descumprimento claro da lei de licitações, lei da estatal e dos próprios regulamentos internos da Petrobras. Há suspeita de corrupção por descumprimento dessa legislação”, afirma o secretário do Sindipetro, Pedro Lúcio, em entrevista a Rádio Rural de Mossoró nesta terça-feira (29).

“A Petrobras precisa responder porque descumpriu a legislação”, complementa.

O sindicato ainda estuda entrar com ação judicial para tentar reverter a venda. “Quem está ganhando com a venda desse Riacho da Forquilha?”, questiona.

A venda dos 34 campos terrestres foi anunciada pela Petrobras na quinta-feira passada (25) por 382,2 milhões de dólares.

Siga-nos no Instagram.

contatosaulovale@gmail.com

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook

Saulo Vale

É formado em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela UERN. Apresentador do Jornal da Tarde, Rádio Rural de Mossoró, e do Enfoque Político, Super TV. É também correspondente de política das rádios da capital e do interior, como 97 FM de Natal, 91 FM de Natal e Rádio Cabugi do Seridó.