Falta o básico no Hospital Tarcísio Maia

A médica neurologista Samila Pinheiro usou as redes sociais para relatar a dificuldade de atendimento no Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM).

Falta o básico.

“Sou médica, formada pela UERN. Tem algo que me preocupa muito. Neste exato momento, não temos gasometria, nem sódio, nem potássio, nem vários exames importantes no Tarcísio Maia. Imaginem dirigir um carro sem volante. Você tem o motorista e o carro, mas não há como guiar. É o que acontece quando você tem médico, e tem respirador, mas faltam vários exames básicos como gasometria para manejar a ventilação mecânica dos pacientes. É inútil investirmos em hospital de campanha e na formação de novos médicos se os hospitais que já temos não dão suporte pros médicos trabalharem adequadamente. Sem volante, o destino do carro é certo: um acidente, um desastre”, publicou a profissional, na tarde desta segunda-feira (6).

“Os pacientes pagam muitas vezes os exames do próprio bolso”, complementou.

Nota do Blog: Governadora Fátima Bezerra e secretário de Saúde Cipriano Maia, vejam a situação da segunda maior unidade hospitalar do RN.

Isso em plena pandemia.

É um absurdo.

Siga-nos no Instagram.

contatosaulovale@gmail.com

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook

Saulo Vale

É formado em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela UERN. Apresentador do Jornal da Tarde, Rádio Rural de Mossoró, e do Enfoque Político, Super TV. É também correspondente de política das rádios da capital e do interior, como 97 FM de Natal, 91 FM de Natal e Rádio Cabugi do Seridó.