politica 728x90
Padre Philipe (de preto) e padre Sátiro - Foto: arquivo

“Amar. E basta”, por Philipe Villeneuve

Por Philipe Villeneuve, padre

★ 27/08/1996

† 02/04/2024

Tenho refletido muito sobre o amor, não como sentimento, mas sim compromisso com as pessoas, com a vida, com o vínculo de humanidade que temos.

E me preocupo que, no Cristianismo, o amor, mandamento primário e essencial, passe a ser barganha de salvação. Sim, alguns fazem qualquer gesto amoroso pensando naquilo que receberão em troca.

As relações são utilitaristas: usamos os outros para aquilo que queremos obter e ainda buscamos impressionar Deus, achando, nós, que Ele irá ver o externo, não o coração.

Pe. Philipe – Foto: rede social

Amar não deveria ser moeda de troca, mas sim uma pulsão de vida, uma naturalidade do coração. Amamos porque é bom amar, nos faz bem, faz-nos mais humanos, sentimo-nos mais na essência do que somos.

“Padre, devemos amar para alcançar o céu”. A eternidade não precisa de amor interesseiro, para lá vão os que amaram com gratuidade de coração.

Jesus nos mandou amar como Ele amou. Ora, Ele não morreu para ganhar algo. Sua entrega é um gesto de amor gratuito e desprendido.

E basta.

Texto publicado em 10 de março de 2024, no Instagram de Philipe Villeneuve.

Siga-nos no Instagram.

conatosaulovale@gmail.com

Banner_Sicoob_Saulo_728x90
728x90 (3)
728x90
WhatsApp
Telegram
Twitter
Facebook

Saulo Vale

É formado em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela UERN. Apresentador do Jornal da Tarde, Rádio Rural de Mossoró, e do Enfoque Político, Super TV. É também correspondente de política das rádios da capital e do interior, como 97 FM de Natal, 91 FM de Natal e Rádio Cabugi do Seridó.

Banner_Sicoob_Saulo_400x400
[feed_them_social cpt_id=37056]